Desculpa, ô porpeta!

05/10/2010

Já fazem sete meses que não posto nada no meu blog. Culpa de meu novo emprego, onde estou trabalhando de montão. Queria uma razão para voltar e no final de semana passado encontrei. Tentei bloggar, mas deu algum problema e acabei deixando para esta semana. O efeito foi melhor ainda!

Estreamos o novo comercial do Nissan Livina 2011. Sem muita pretensão, a idéia era criar um comercial divertido que falasse das nossas cinco indicações pela imprensa especializada. Surpresa foi ver o boom que aconteceu. 61 mil views no Youtube em dois dias, vídeo de automóvel mais visto no mundo, na Índia e no Brasil. Milhares de Tweetes a respeito dele, todo tipo de resposta. Melhor de tudo é ver os comentários, na maior parte positiva (90%) e dizendo que propaganda comparativa é ótima. Hoje, dia 03 de outubro, já acumulou mais de 140 mil views entre o da página oficial e o das cópias que já apareceram.

Não gosto e nem quero transformar este blog num portfólio do meu trabalho. Mas duas semanas com o vídeo de automóveis mais acessado no Youtube me obrigam a comentar o fato aqui. Agora foi a vez do novo comercial, feito exclusivamente para a internet. Um pedido de desculpas à concorrência que já teve em menos de 48 horas mais de 40 mil acessos.E, novamente, 90% de citações positivas, tanto no Youtube quanto no Twitter.

Realmente, a sensação que tenho é que as pessoas esperam por mais criatividade num mundo cada vez mais cinza…

Se você não viu, clique abaixo. Se viu, veja de novo. Mas me mande sua opinião.


Líder muda. Para continuar líder

03/02/2009

Não precisa pesquisar muito para ver o impacto que a entrada das Casas Bahia produziu com sua entrada, aliás atrasada, no comércio eletrônico. Todos os meios de comunicação deram a notícia, seja pelo interesse que eles próprios tem no varejista, seja pelos impactos que a maior rede brasileira tem no mercado como um todo.

A estréia foi tímida, considerando-se o tamanho da rede. E errada, pois o tiro deles foi tentar ensinar o consumidor a acessar a página. Só que divulgar um endereço que é óbvio com um vídeo de quatro minutos e meio no Youtube é não conhecer com quem se está falando.

Mas não fique feliz achando que eles não irão se encontrar rapidamente. Em novembro de 2005, as Casas Bahia lançaram, junto com o Bradesco, seu cartão de crédito private label. Naquela época, Michael Klein, filho do fundador e atual presidente, dizia que o cartão seria “…para vendas parceladas em até 24 vezes na rede…” com “…juros de 3,5% ao mês e limite a partir de R$ 100…” Hoje, não existe mais anúncio da rede que não declare ser possível comprar em 10 vezes sem juros, numa versão de venda muito mais voltada para as classes A e B do que para os tradicionais clientes da classe C e D da rede. Em três anos eles já emitiram mais de cinco milhões de cartões próprios. São as Casas Bahia conquistando novas faixas de público.

Agora é a vez da Internet. A mesma disposição em aprender o que o consumidor que se utiliza de cartão de crédito quer deverá ser vista na busca pelo consumidor desse novo canal de vendas virtual. Não é a tôa que eles são os reis do varejo brasileiro.


Superbowl. Super show

02/02/2009

Ontem foi o dia do Superbowl de número 43. Para quem não conhece, é o jogo final do campeonato americano de futebol. Não o futebol como temos no Brasil, mas o futebol jogado com as mãos. É o programa de maior audiência na tv americana e dura cinco horas, em média. Mas o mais importante para nós que vivemos de marketing não é o jogo em si e sim os intervalos.

09_SBXLIII_Parker02_102995

São os trinta segundos mais caros do mundo, algo como três milhões de dólares. E os anunciantes americanos se esmeram em lançar ali seus comerciais mais caros.

Este ano, o Youtube reuniu todos os comerciais numa página de internet especial, a Adblitz 2009. São 53 comerciais que valem o tempo que você vai dispender em frente ao computador. Eu os vi e abaixo listo meus preferidos:

Coca-Cola – Especialmente o que brinca com Avatares.

Pepsi – Também não fica atrás. Principalmente o comercial com Bob Dylan. O da Pepsuber precisa de ser um conhecedor do programa Saturday Nigth Live, ou do McGyver…

Bridgestone – É fantástico pensar em pneus roubados por alienígenas. Em Marte.

Miller – E seu comercial de um segundo!

O péssimo anúncio de uma empresa que compra ouro. Pelo correio. Outro de serviço de entrega de flores por telefone. E um de site para arrumar encontros amorosos para pessoas casadas. No mínimo é interessante pensar que esses serviços geram lucro suficiente para pagar um comercial de três milhões de dólares.

E os comparativos entre produtos concorrentes, representados por um comercial da Hyunday e outro da Castrol.

É uma verdadeira aula de como fazer publicidade. Do país que levou o assunto a sério e o transformou em ciência.

A propósito, Pittsburgh Stellers ganhou o Superbowl.