Trust me

26/10/2009

Semana passada Microsoft lançou seu novo sistema operacional, o Windows 7. Apple rapidamente colocou o comercial acima no ar. Faz parte de uma série, onde os dois padrões, Pc e Mac, são representados pelos mesmos dois atores. Agora é esperar e ver qual o resultado da promessa da Microsoft. Inteligente, sutil e que reforça a promessa da Apple em ser uma marca cool.Além de dar uma estocada no concorrente.

Anúncios

O anti iPhone

21/10/2009

Virou referência e, por conta disso, o adversário a ser batido. Estamos falando do iPhone, o sucesso da Apple. Agora é a vez da Verizon, companhia de telefonia celular americana, colocar no ar uma campanha se posicionando diametralmente oposta ao produto de Steve Jobs.

É o Droid, novo aparelho da Motorola, que usará o sistema operacional da Google, o Android 2.0. As duas empresas irão lançar o produto no próximo dia 28, mas já colocaram no ar um teaser que destaca o que o iPhone não tem. O mais interessante é que, sem falar do concorrente, a cor do anúncio e o jeito de escrever  I Don’t (“Eu não posso”) deixa claro de quem eles estão falando.

Agora é aguardar a próxima quarta feira e descobrir se dessa vez a liderança será realmente ameaçada.


O líder rendendo-se à concorrência II

23/02/2009



Postei, outro dia, sobre as lojas que a Microsoft está planejando abrir, a exemplo das Apple Stores. Hoje, o Estadão publicou matéria do jornal inglês The Guardian sobre o assunto. Vale a pena ver, pois confirma o atraso da Microsoft em entender o novo consumidor.


O líder rendendo-se à concorrência

18/02/2009

Quem já esteve em Nova York e visitou a loja da Apple na Quinta Avenida já esteve de frente com a imponência e arrogância dessa pequena empresa de informática.

Pequena? Sim. Por todos os aspectos que se olhe, a Apple é uma pequena e charmosa empresa de informática. Se você olha para o produto mais desejado dela, o iPhone, descobre que ela nem está entre as cinco maiores fabricantes de celulares do mundo, detendo apenas 3% das vendas mundiais. Se pensa em computadores, suas vendas em 2007 foram de dois milhões de unidades versus 252 milhões de PC’s. Ainda assim, cada vez mais eles ditam as normas no que tange a inovação no segmento.

Agora é a vez da Microsoft jogar a toalha e copiar descaradamente a estratégia de lojas próprias da concorrente. A Apple abriu, de 2001 até hoje, pouco mais de 200 lojas em todo o mundo. Seu slogan é fantástico: Venha para comprar. Retorne para aprender. Se na época da abertura da primeira loja existiam várias dúvidas do acerto da decisão e reclamações do comércio em geral, hoje em dia ninguém discute mais o tema, além do medo dos comerciantes ter se dissipado.

lojasms-20090213074258

A Microsoft não teve nem vergonha na cara. Como sua concorrente, foi o mercado e contratou um especialista em varejo para montar sua rede. No seu caso, David Porter, ex-Wal-Mart. Na Apple, Allen Moyer, ex-Sony. Como sua concorrente, anunciou que seu principal objetivo, fora as vendas, é construir uma forte relação com seus consumidores e criar melhores e mais relevantes produtos, como resultado.

Agora é esperar e ver os resultados. Quando o pequeno começa a ditar a estratégia do grande, pode aguardar que grandes mudanças de mercado estão para chegar.